Supporting the Policy Environment for Economic Development
SPEED+

Segunda carteira de projectos de energias renováveis apresenta soluções fora de rede para acesso à energia eléctrica

PCA do FUNAE, António Saide

Contendo um total de 276 projectos do recurso hídrico, solar e sistemas individuais de acesso à energia, foi lançado recentemente no país em três seminários regionais nas províncias de Nampula, Manica e Gaza a segunda carteira de projectos de energias renováveis.

Trata-se de um instrumento base para que potenciais investidores aprofundem os estudos de viabilidade para o desenvolvimento de projectos de geração e distribuição, bem como operação e manutenção de mini-redes solares e hídricas, considerando a dispersão das pessoas pelo território nacional.

Os eventos organizados pelo Fundo de Energia (FUNAE) com apoio da USAID através do projecto SPEED+ visavam apresentar as oportunidades e modelos para a implementação de projectos de energias renováveis aos parceiros de cooperação, agentes económicos, e as instituições de administração pública e privada, bem como reunir com os gestores da Postos de Abastecimento de Combustíveis do FUNAE no âmbito do projecto incentivo geográfico.

Compõem a carteira de mini-hídricas, 31 projectos com capacidade total de 100.2 MW, distribuídos pelas províncias de Niassa, Nampula, Zambézia, Tete e Manica.

Relativamente ao recurso solar, compõem a presente carteira 178 projectos para o desenvolvimento de mini-redes, com uma capacidade total de 8.7 MW e pouco mais de 24 mil ligações previstas em todas as províncias do país. Por fim, existem 60 projectos individuais.

A fase do lançamento dos projectos contou com a participação do PCA do FUNAE, António Saide, quem explicou que  “O foco desta segunda edição de carteira de projectos são as zonas rurais, tendo como meta desenvolver projectos de electrificação fora da rede, olhando para os recursos hídrico e solar”, destacou.

Depois do lançamento da primeira carteira de projectos em 2017, a presente, igualmente apresenta o potencial existente para o investimento em sistemas solares individuais, principalmente em zonas onde a dispersão da população é mais acentuada.

A banca que acompanhou o processo de divulgação dos projectos nos seminários provinciais diz possuir linhas de credito para financiar potenciais investidores nas áreas de energias renováveis no âmbito do projecto Eco Ambiental do Banco Comercial de Investimento, BCI.

O financiamento cobre um montante global de3 milhões de Euros, a serem desembolsados em Meticais, com condições atractivas para Clientes Particulares, Micro, Pequenas Médias Empresas, Empresários em Nome Individual, e Grandes Empresas para a aquisição de produtos de eficiência energética e energias renováveis (Equipamento Agrícola, Sistemas de Irrigação gota-a-gota, Sistemas Solares e Fotovoltaicos…).

A segunda carteira de projectos do FUNAE enquadra-se no contexto do “Programa Nacional de Energia para Todos” recentemente lançado pelo Presidente da República, Filipe Nyusi, no âmbito do acesso universal à energia até 2030, no quadro dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável de que Moçambique é signatário enquanto membro das Nações Unidas.

Aproximadamente 70% da população de 27 milhões de habitantes de Moçambique não tem acesso a energia elétrica. O Governo de Moçambique e o programa Power Africa pretendem ter 100% destes 19 milhões pessoas conectadas até 2030

A USAID através só projecto SPEED+ apoia tecnicamente o FUNAE na disseminação das oportunidades de energia renováveis fora da rede existentes na carteira.